Archive for the ‘bob dylan’ Category

Podcast, textos e a “cena folk de São Paulo”

março 24, 2008

Tudo certo? Desculpem a sumida, mas é que estamos acertando os últimos detalhes para a próxima Folk This Town, que rola no dia 30 de março. Enquanto isso, a festa andou aparecendo pela mídia afora, especialmente associada à nascente cena de folk em São Paulo.

Começamos pelas garotas da Agência Alavanca, grandes amigas e parceiras da festa, que dedicaram o último bloco do seu podcast de estréia para falar da Folk This Town. Confiram o podcast aqui.

Quem também apareceu e se tornou amigo da festa é o jornalista Eder Teodoro, que enquadrou a cena folk da cidade em sua reportagem no primeiro número da revista Off-Line – onde também citou Dylan, Mallu Magalhães e entrevistou Gui Barrella, do Blue Afternoon. Leiam aqui a matéria na íntegra.

Alexandre Matias, editor do caderno Link do Estadão e dono do Trabalho Sujo, aproveitou a passagem do Bad Folks pela cidade para também afirmar a existência da cena folk paulistana, e colocar a Folk This Town entre um dos principais fatores da cena.

Quem também falou de folk e Brasil foi Hélio Flanders, vocalista do Vanguart, em seu podcast de estréia no site da MTV. Apesar de não citar a Folk This Town, Hélio manda um Sá, Rodrix e Guarabyra e também toca “The Size Of A Buick”, da garota-fenômeno Stephanie Toth (que estréia na Folk This Town em abril!).

Retrospectiva Folk – Fevereiro

março 4, 2008

 

É uma pena não ter sobrado um tempo pra eu escrever sobre o que tem sido a Folk This Town até agora. A gente sempre recebe um monte de e-mails empolgados, abraços camaradas e outras manifestações de carinho, e nem sempre dá pra lembrar de agradecer por aqui.

 

Acho que a gente tem que começar de dezembro do ano passado, quando o Edson e seus Black Horses inauguraram oficialmente a “melhor (e única) festa folk de São Paulo)”. Edson é daqueles que lidam com a quietude e o minimalismo, um membro da nossa “família” que ainda vai fazer muito barulho (mesmo que também apreciando o silêncio) por aqui e em terras estrangeiras.

 

Depois, teve a Lulina, que foi maravilhosa trazendo um monte de convidados também maravilhosos pra tocar seu Cochilândia na íntegra. A Lu é fofa e delicada e uma das pessoas mais queridas que a gente já teve a sorte de encontrar – e volta semana que vem à festa, dessa vez tocando o álbum Bolhas na Pleura (mais detalhes daqui a pouco).

O recomeço, em 2008, foi tão divertido quanto a “primeira vez”. Primeiro porque o Adriano e seu semi-solo (ex-Fading) abriu a noite, e o Adriano é um dos irmãos-folk, um dos caras sem o qual essa festa nem existiria. Aliás, puta show, com mais um monte de amigos no palco.

 

No mesmo dia 10 também tocaram Os Telepatas – que além de presentearem a gente com versões acústicas das músicas deles (e mesmo com a ausência do Stan, que estava em terras estrangeiras na época), deram de brinde Lô Borges, Grandaddy e uma palhinha do show especial só com Wilco (que rolou no final do mês no Milo) de brinde.

 

Dia 24 também foi mágico, começando com o trio de super-stars folk Helio, Zé & Mallu (“nosso Peter, Paul & Mary”, diria o Adriano), tocando versões de arrepiar de clássicos do mestre Bob Dylan, com o acréscimo de um Moldy Peaches aqui e um Vanguart acolá, só pra temperar a noite.

 

Quem também largou um pouco as guitarras para se render aos violões foi o quinteto Fotograma, tão à vontade no palco que não dava pra imaginar eles tocando de outro jeito – arranjos perfeitos e sutilezas sonoras que beiram a perfeição.

 

Aproveitando a retrospectiva, eu gostaria de agradecer algumas pessoas que fizeram essa festa possível. Primeiro a Dani Hasse, minha namorada e verdadeira musa-folk, que tem a infinita paciência com toda a correria e ainda assim se diverte, sempre registrando os shows em foto e vídeo – e que deve tocar com seu projeto folk logo na festa!

 

Outro camarada imprescindível é o Rodrigo Sommer (esse já tem show marcado pra abril), um dos organizadores e o responsável pelos cartazes e flyers da festa, sucesso absoluto.

 

Por trás da mesa de som está o insubstituível Mancha, operador de milagres de plantão. Também temos que agradecer ao Paulo e ao Miki, cappos do Santa Augusta que curtiram a idéia e apostaram na Folk This Town, além de amigos que colaboraram de diversas maneiras, como Carol, Kátia, Guilherme, Palugan, Eugênio, Leon, Stevens, Dani Arrais e mais uma porrada de gente que eu estou esquecendo agora – sem contar o nosso público que está lá, domingo sim, domingo não, espantando a pasmaceria com um bom som, boa cerveja e excelente companhia.

 

Abraços a todos, e nos vemos na próxima Folk This Town!

Dylan, Fotograma, Helio and Zé e o flyer

fevereiro 21, 2008

O sempre genial Rodrigo Sommer mandou mais um cartaz (e flyer virtual) deveras para a nossa festa. Aliás, quem tiver afim de comprar o cartaz da última edição e reservar um da próxima, pode entrar em contato com ele no e-mail rodrigosommer@gmail.com.

flyer24-02.jpg

Mais informações sobre a festa aqui.

Fotograma acústico e Helio and Zé tocando Bob Dylan são as atrações da Folk This Town desse domingo

fevereiro 19, 2008

A poucos dias dos shows de Bob Dylan no Brasil, a Folk This Town traz a dupla Helio and Zé (Helio Flanders do Vanguart e Zé Mazzei do Forgotten Boys) tocando os grandes clássicos de Dylan, indo de Freewhelin’ Bob Dylan ao Blood on The Tracks. A apresentação também vai contar com a presença especial da garota-hype Mallu Magalhães em algumas canções. O show de abertura fica por conta da banda Fotograma , trazendo seu folk/MPB em roupagem acústica.

A festa:

Tem festa pra tudo em São Paulo, não? Anos 90, electro-punk-house, hardcore caipira. Mas a metrópole não tem nenhuma noite dedicada ao folk e outras manifestações mais “tranqüilas” de música. Quer dizer, não tinha. A festa Folk This Town, projeto no Santa Augusta Bar, abre espaço para os violões, sussurros e um clima mais intimista – nada de “pista fervendo”, o negócio é gente sentada, boa companhia e ótimo som. O projeto rola quinzenalmente, aos domingos e cedinho (começando às 18h30).

Na discotecagem, canções de gente como Neil Young, Belle & Sebastian, The Band, Wilco, Cat Power, Moldy Peaches, The Byrds, Neutral Milk Hotel, Big Star, Os Pistoleiros, Bob Dylan, Son Volt, Belle & Sebastian, Woody Guthrie, Nick Drake, Will Oldham, Stephanie Toth e outros heróis do violão (plugado ou não). A festa abre cedo, a partir das 18h, e os shows começam às 20h.

 

 

Serviço:

Shows de Helio and Zé e Fotograma
Santa Augusta Bar
Rua Augusta, 976
Tel: 3255-9905
Dia 24/02 (domingo)
A partir das 18h30
Entrada: R$ 7,00
Bônus Folk: consumindo R$ 12,00 ou mais, a entrada fica isenta.
Censura: 18 anos

Ah, e se você quiser saber como vai ser o show, saca só esse trechinho de “Dont’t Think Twice (It’s Alright)” que o Helio e o Zé soltaram no YouTube: